BUSCA

    Catira e Folia de Reis, neste blog temos por obrigação de publicar tudo sobre nossa origem. Muitas são as informações sobre esse assunto.      Na figura a esquerda temos  duas pessoas executando uma dança tradicional chamada LUNDUM, sapateado feito por grupo individual ou solo. diferente da Catira que a dança é executada por grupo de no mínimo 4 pessoas e no máximo 8 onde a coreografia são diversas e caracterizando cada grupo, para que se tenha uma boa coordenação entre os dançarinos se faz necessário um numero específico de integrantes, não é regra mas apenas uma orientação.             Tanto nas folias de reis e Catira ou Lundum, é aceitável pessoas de todas as idades e sexo, porem à grupos de Folias e Catira que não aceitam mulheres em seu grupo.     As vezes por tradição vem pra transmitir diversos tipos de manifestações e com isso mantem-se as culturas familiares e histórica de um povo.       Os grupos tradicionais traz o convíveo entre família e amizade proporcionando aos participantes uma gama enorme de conhecimento mutuo entre eles, sobre esses conhecimentos falaremos em outra publicação pois requer uma dedicação toda especial onde falaremos da fé, da tradição, da cultura de cada um, no que cada individuo acredita dentro de sua manifestações.

     Dentre os grandes nomes, não poderíamos deixar de publicar seus mártires e os grandes Violeiros, Catireiros, Capitães de Folia, que tiveram durante toda sua vida direcionada as suas origens.   Na Folia o Sr, Evaristo Torquato, mestre condecorado e reconhecido pelo ministério da cultura, na catira Sr. Manoel Telles, como capitão de folia de reis e mestre catireiro, Romeu Borges, catireiro e mestre na arte do lundu.     Grandes são outros que publicaremos em seguida neste blog.    Na figura ao lado temos em destaque Junior Borges Violeiro Catireiro e grande incentivador de nossa cultura catireira e a direita com a viola Vinícios Telles, catireiro, folião de reis e violeiro de catira, filho do mestre Manoel Telles.

Um comentário:

Anônimo disse...

Ser cultura é ser antes de tudo um educador dedicado, cuidadoso e preciso! Acreditar na sensibilidade do povo, permitindo que eles sejam ouvidos... Além de incentivar a criatividade, a Catira articula a troca a informação das tradições e da sociedade em que atua na sua tradição.
Indo ao encontro do seu texto, a sua iniciativa garante espaço para a informação e a ação cultural. E viva a diversidade cultural...

Rosa

Quando o sonho é forte, o pensamento vem. O amor é o pai da inteligência. mas sem amor todo o conhecimento permanece adormecido, inerte, impotente. [...]
Rubem Alves